Surgimento como tudo começou...

Um caso de violência na escola estava ganhando grande repercussão na mídia: só se ouvia sobre aquilo no rádio, na TV e nas rodas de conversa.

Jornais e revistas davam destaque. Até que um ouvinte da Rádio Bandeirantes entrou em contato com o serviço de atendimento da emissora e, sem saber, mudou a história de muitos jovens brasileiros. Ele reclamou do fato de que a imprensa “só se preocupava em criticar a escola” e nunca se dedicava a mostrar bons exemplos país afora. E citou uma escola que ele conhecia em que os alunos se reuniram para fazer trabalho voluntário.

A reclamação do ouvinte foi discutida em várias reuniões de pauta na Band. E não saía da cabeça do então diretor de Jornalismo da Rádio Bandeirantes, Marcelo Parada, que abordava esse assunto sempre que podia. Até o dia em que esteve na rádio Milú Vilella, presidente do Centro de Voluntariado de São Paulo. Milú foi à rádio em busca de apoio para divulgar o voluntariado, especialmente porque havia assumido o compromisso de comandar o Comitê Brasileiro do Ano Internacional do Voluntário em 2001: o Brasil era um dos 123 países participantes do programa criado pela Organização das Nações Unidas.

Era a união perfeita: por um lado, o Ano Internacional do Voluntário visando a estimular o voluntariado cada vez mais e, por outro, a Bandeirantes buscando uma maneira de divulgar coisas positivas sobre as escolas e a educação no Brasil, de preferência na voz dos alunos.

Surgiu então a ideia de criar um prêmio, na Rádio Bandeirantes, para reconhecer o trabalho de escolas que tivessem projetos sociais desenvolvidos voluntariamente por jovens, dando espaço para que os próprios alunos contassem suas histórias no rádio. A ideia do Prêmio Escola Voluntária estava pronta. Só podia dar certo. A Bandeirantes rapidamente pôs a mão na massa. Colocou no ar por 15 dias várias chamadas dos locutores da rádio a respeito do prêmio. Enviou convites a centenas de escolas do estado de São Paulo e recebeu 80 inscrições. Montou um curso para ensinar os jovens a fazer reportagens de rádio e locuções, veicular as reportagens sobre os projetos deles na Rádio Bandeirantes, realizar evento de premiação com direito a shows, presença de celebridades da área social e da TV. Foi um enorme sucesso! Mas, até aquele ponto, era um prêmio sobre educação produzido por jornalistas.

Acesse o menu Biblioteca / Publicações e conheça outras histórias do Prêmio Escola Voluntária.


^ topo